Busca
  
  1. Extranet
  2. Idioma
  3. Global sites
PR Newswire: Distribuição de notícias, targeting, monitoramento e soluções de marketing.

Oxitec: Câmara dos Lordes reconhece potencial de insetos geneticamente modificados

OXFORD, Inglaterra, 18 de dezembro de 2015 /PRNewswire/ -- O Comitê de Ciência e Tecnologia da Câmara dos Lordes do Reino Unido publicou hoje o resultado de quatro meses de análise sobre insetos geneticamente modificados (GM) reconhecendo o potencial deles para melhorar a vida das pessoas em todos o mundo ao controlar vetores e pragas que espalham doenças e causam danos às culturas agrícolas alimentares.

O relatório Genetically Modified Insects reconhece que os insetos GM tem um considerável potencial de ajudar em uma grande gama de desafios. "O enorme peso da doença faz com que todas as possibilidades devam ser exploradas e os resultados positivos contra a dengue obtidos pela Oxitec em cinco diferentes estudos de campo deveria ser aproveitado. Esse potencial tem de ser explorado; seria um erro não usar as tecnologias de insetos GM em uma gama de potenciais aplicações." O Comitê também pediu mais suporte financeiro "para manter a posição do Reino Unido de líder mundial na tecnologia do inseto GM". E também melhorias na área regulatória "para garantir que ela seja específica para sua finalidade".

O Presidente do Comitê Lord Selborne afirmou: "tecnologias de inseto GM tem o potencial de salvar um número incontável de vidas em todo mundo." E completou: "nosso relatório concluiu que o governo do Reino Unido tem o dever moral de testar o potencial dessa tecnologia em nome dos benefícios de longo prazo para os países em que doenças como dengue e malária matam indiscriminadamente."

A Oxitec é a única empresa de insetos GM no mundo e desenvolve soluções para controlar vetores e pestes que espalham doenças e causam danos a culturas agrícolas de forma segura, sustentável e amiga do ambiente.

O sistema de controle autolimitante utilizado nos mosquitos desenvolvidos pela Oxitec foram testados em diversos países e reduziram com sucesso a população de insetos em mais de 90% -- um nível de controle sem precedentes.  Em 2014, a Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio) liberou o uso do Aedes aegypti da Oxitec em todo o Brasil e a cidade de Piracicaba (SP) está liderando a primeira parceria no mundo com um município para a liberação desses mosquitos, conhecidos como "Aedes aegypti do Bem". A mosca-do-mediterrâneo (Ceratitis capitata) da Oxitec recebeu autorização da CTNBio para liberação programada no ambiente no Brasil e a traça-das-crucíferas (Plutella xylostella) da Oxitec está atualmente em testes nos Estados Unidos.

O perfil ambiental da abordagem baseada em cópula gera grandes benefícios pois o "Aedes aegypti do Bem" controla apenas o vetor com o qual copula, não afetando as outras espécies presentes no ambiente. Além disso, a abordagem é autolimitante. O "Aedes aegypti do Bem" e seus descendentes morrem, o que significa que o vetor pode ser controlado com precisão e que o "Aedes aegypti do Bem" não persiste no ambiente. O "Aedes aegypti do Bem" também carrega um marcador fluorescente que ajuda no monitoramento através de um método simples.

"Estamos muito felizes que a Câmara dos Lordes, após um processo rigoroso, teve um posicionamento tão positivo. Nosso foco sempre foi ajudar a parar o espalhamento de doenças causadas por mosquitos e, como nós, o Comitê também reconhece que há um potencial considerável na agricultura. Insistimos que o governo do Reino Unido aja na direção da conclusão desse relatório e nos ajude a levar essa abordagem aos países que vivem sob a ameaça de doenças como dengue, chikungunya e  Zika.", afirmou Hadyn Parry, CEO da Oxitec.

A Oxitec é pioneira no uso de engenharia genética para controlar insetos que espalham doenças e causam danos à agricultura. A Oxitec foi fundada em 2002 como uma spinout da Universidade de Oxford. A Oxitec é uma subsidiária da Intrexon Corporation (NYSE: XON) que busca usar biologia para ajudar a resolver alguns dos maiores problemas do mundo.

Doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti

  • Dengue infecta cerca de 390 milhões de pessoas todos os anos, com 40% da população mundial sempre sob risco de contrair a doença.
  • Chikungunya varreu a América Central e o Caribe em 2013, gerando uma epidemia de mais de um milhão de casos em apenas um ano.
  • Zika Virus está se espalhando rapidamente para novos países e levou a um estado de emergência no Brasil foi relacionado a um aumento repentino no nascimento de crianças com microcefalia.
  • Febre amarela continua sendo uma grande ameaça à saúde. É estimado que haja 200 mil casos de febre amarela em todo o mundo, 90% deles na África, levando a 30 mil mortes ao ano.

Sobre o relatório

O relatório The Genetically Modified Insects realizado pela Comitê de Ciência e Tecnologia da Câmara dos Lordes pode ser acessado online http://www.parliament.uk/genetically-modified-insects  

Mais informações

Oxitec website: www.oxitec.com  

Facebook: www.facebook.com/oxitec 

Twitter: www.twitter.com/oxitec

Contato imprensa

Chris Creese

info@oxitec.com

+44.(0).1235.832393

FONTE Oxitec



Contate-nos

Obtenha mais informações

ou fale conosco pelo telefone

+55 11 2504 5100

Veja nossas notícias

Acesse nossa página de notícias e fique atualizado com as informações mais importantes do dia.

Seja um parceiro

Receba automaticamente em seu site nossas notícias, atualizadas a todo instante. Veja os formatos disponíveis e cadastre seu site agora mesmo!